segunda-feira, 2 de março de 2015

Novas Aranhas na Marvel

Com o advento do Spider-Verse, um mega-evento que gira em torno do(s) homem(s)-aranha, pudemos rever tudo o quanto é homem aranha já feito inclusive os dos desenhos, e claro, aproveitaram para criar algumas versões novas. Entre essas estão Silk e Spider-Gwen, que fizeram sucesso e acabaram por ganhar suas próprias publicações


Silk é o nome-de-herói de Cindy Moon, uma jovem que foi picada pela mesma aranha radioativa que picou Peter Parker, e assim como o nosso tão querido herói, ganhou poderes que a permitem subir pelas paredes e lançar teias pela cidade. Mas quando ela descobre suas novas habilidades e a informação vaza na internet, Ezequiel Sims a retira de cena e a ensina a usar seus poderes. Morlun também descobre os poderes de Cindy e começa a persegui-la. Para evitar que ela seja pega, Ezequiel a tranca em um bunker que impede que ela seja rastreada, e a dá um código para que ela possa sair na hora que quiser. Mas sabendo do perigo e das consequências que isso acarretaria, ela acaba decidindo permanecer trancada, até que 10 anos depois Peter Parker a descobre e liberta.


Agora, depois dos eventos ocorridos em Spider-Verse, ela está em busca de seus pais, enquanto tenta aprender a lidar com seus poderes, com sua identidade secreta, e com a própria sociedade, após 10 anos sozinha.

Criada por Dan Slott e Humberto Ramos, sua primeira aparição foi em Amazing Spider-Man Vol 3, edição 1 (junho/2014) e sua primeira participação como Silk foi na edição 4 da mesma publicação (setembro/2014). Ela faz parte da Terra-616 e possui os seguintes poderes:
  • Memória Eidética (memória fotográfica)
  • Produz a sua própria teia de seda (silk em inglês) que sai da ponta de seus dedos
  • Reflexos 40 vezes maiores que do ser humano comum
  • Equilíbrio e coordenação corporal aumentados, sendo superiores até que os do Homem-Aranha
  • Força, tenacidade dos músculos, resistência ao impacto e agilidade muito grandes
  • Capacidade de controlar mentalmente a força eletrostática

Já a Spider-Gwen é da Terra-65, e como vocês podem imaginar, é ninguém menos do que Gwen Stacy, aqui com o nome de Gwendolyne, (pequeno spoiler do Spider-Verse) em um universo onde Peter Parker se tornou um lagarto e claro, morreu. O novo título mostra ela de volta ao seu universo, após os acontecimentos do Spider-Verse, e como ela tem que lidar com o fato de ser procurada pela polícia, enquanto tenta lutar contra o crime e um novo vilão chamado Vulture. Seu pai é policial, assim como no universo normal, e ela possui as mesmas forças e habilidades do homem-aranha convencional da Terra-616.

Ela foi criada por Jason Latour e Robbi Rodriguez, e assim que apareceu em Spider-Verse ganhou uma boa base de fãs, que começaram a pedir uma publicação-solo dela. Curiosidade: ela era baterista da banda The Mary Janes.


É muito legal ver duas novas personagens femininas legais, e com uniformes não apelativos, assim como tendo histórias interessantes e bons motivos para suas ações. Espero que estas duas novas publicações continuem fazendo sucesso (ambas venderam bem em sua primeira edição), para mostrar à Marvel e ao mundo (DC, você também, hein) que personagens femininas bem desenvolvidas e sem apelo sexual podem sim ser muito legais de acompanhar.


Um comentário:

  1. OLá, Thiago! Não sei se gostaria da personagem aranha de Gwen, pois isso mexe em uma situação icônica do aracnídeo. Seria como aqueles "remakes" onde mudam coisas essenciais na trama. Já a outra, a Silk, muito me apreciou.

    Abraços. Tudo de bom!

    ResponderExcluir